Carregando...Cirurgia do câncer de próstata

Cirurgia do Câncer de Próstata – Indicação, Tipos e Complicações

A cirurgia do câncer de próstata é uma das mais temidas pelo homem. Isso porque o procedimento envolve a retirada da próstata e das vesículas seminais, responsáveis pela produção e emissão do esperma no momento da ejaculação.

No entanto, nem todo homem diagnosticado com câncer de próstata precisará passar pelo procedimento de retirada total dessas glândulas. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre as indicações, tipos e complicações da prostatectomia.

Cirurgia do Câncer de Próstata

O Que é a Prostatectomia Radical

É um dos métodos de tratamento cirúrgico para o câncer de próstata. A intervenção consiste na retirada da próstata e das vesículas seminais, ou seja, com a extração das glândulas, surge a necessidade de cortar os canais deferentes por onde o sêmen circula. Nestes casos, o paciente não ejaculará após a realização do procedimento.

Antes de tomar qualquer decisão, seu médico urologista contará com a ajuda de exames laboratoriais e de imagem para avaliar o nível de gravidade, o estágio e os possíveis riscos do procedimento. A cirurgia não deve ser realizada em pacientes que não estiverem com a saúde em boas condições, portadores de comorbidades graves não compensadas e que apresentarem expectativa de vida menor que dez anos, independente da idade.

Tipos de Cirurgia

Existem diversos métodos cirúrgicos para a retirada da próstata. No Brasil, a mais comum é a intervenção abdominal, onde o cirurgião faz uma incisão de oito a dez centímetros para ter acesso a próstata e as vesículas acometidas pelo tumor. Além deste, outros procedimentos para a retirada da próstata são:

  • Prostatectomia radical por laparoscopia – Consiste na abertura de várias pequenas incisões por onde são inseridos instrumentos especiais para a extração da próstata. O procedimento tem acompanhamento total por meio de um painel de vídeo que ajuda na precisão dos movimentos que as pinças laparoscópicas precisam.
  • Prostatectomia radical perineal – Consiste na abordagem através de uma incisão entre o ânus e escroto. É uma cirurgia mais curta do que a convencional. E pode ser sugerida para aqueles pacientes que não tiverem condições de fazer a cirurgia retropúbica devido a outras condições clínicas, como a obesidade mórbida.
  • Prostatectomia radical robótica – Consiste na cirurgia realizada a partir de um console de operações robotizado. O cirurgião controla os braços robóticos que realizam o procedimento. Comparada às demais, o procedimento é vantajoso em termos de dor, tempo de recuperação e sangramento.

Complicações e Efeitos Colaterais

Assim como qualquer procedimento cirúrgico, a prostatectomia pode ter complicações durante ou após a sua conclusão. Os riscos podem estar diretamente relacionados a saúde geral do paciente, assim como sua anatomia corporal e estágio da doença. Isso por que o organismo de cada individuo pode reagir de diferentes formas durante o processo cirúrgico.

Após a cirurgia, efeitos colaterais como a impotência sexual e a incontinência urinária podem afetar o homem. O primeiro consiste na dificuldade em manter ou obter uma ereção rígida o suficiente para a penetração. E pode surgir devido a lesão dos nervos erigentes durante o procedimento, por exemplo.

Já o segundo caracteriza-se por perda involuntária ou aos esforços de urina. O que pode ser causada por lesão do esfíncter urinário durante a remoção da próstata.

Ambos os casos podem e devem ser avaliados por um urologista de sua confiança. Ele indicará quais passos devem ser tomados para que você recupere plenamente as funções perdidas durante uma cirurgia de prostatectomia.

Referência: American Cancer Society

O Artigo foi Útil?

Clique em 5 estrelas!

Classificação média: / 5. Contagem de votos:

Informações Relevantes, Compartilhe:
Agende uma Consulta