Carregando...Fisiologia da Ereção Peniana

Entenda a Fisiologia da Ereção Peniana

Fisiologia da Ereção Peniana. Para muitos homens, o que os tornam másculos, viris e atraentes são fatores atribuídos a sua vida sexual. A grande maioria encara o tamanho, aparência e formato do pênis como sendo de extrema importância, mas acabam esquecendo que a ereção é a peça chave para se ter um bom desempenho na hora do sexo.

Preocupados apenas em não broxar, homens em geral não se atentam ou não conhecem os processos que o organismo passa para que ele venha a apresentar a ereção peniana. Continue a leitura deste artigo e entenda melhor sobre a Fisiologia da Ereção Peniana.

O Que É Uma Ereção

A ereção peniana, também chamada apenas de ereção, nada mais é do que o aumento, endurecimento e elevação do órgão reprodutor masculino, após algum estímulo sexual.

Podemos dizer que, internamente, esse órgão possui três longas massas de tecido cilíndrico, conhecido como tecido erétil, que são unidas por outro tecido, denominado fibroso.

As duas primeiras áreas são idênticas e possuem o nome de corpos cavernosos. Elas ficam localizadas lado a lado na porção superior do órgão genital masculino. Já a terceira, conhecida como corpo esponjoso, fica abaixo dos corpos cavernosos. Ela circunda a uretra (tubo que transporta urina ou sêmen) e se estende para a frente para formar a ponta (ou glande) do pênis.

Quando o pênis está em um estado flácido ou em repouso, os espaços são colapsados ​​e o tecido é condensado. Durante a ereção, o sangue flui para os espaços, causando distensão e elevação do pênis.

Carregando...

Fisiologia da Ereção Peniana

Para algo tão natural, uma Ereção é um processo bastante complexo que envolve a coordenação de diversos sistemas presentes no organismo, tais como:

  • Psicológico;
  • Neurológico;
  • Cardiovascular.

Uma ereção ocorre quando há algum tipo de estímulo, seja ele visual, mental ou físico. Quando o cérebro recebe essa informação, começa a coordenar uma série de eventos no organismo que agem diretamente no preenchimento dos corpos cavernosos, dando origem a ereção. Confira a seguir a ordem em que esses eventos acontecem:

  • Os impulsos do nervo cruzam o comprimento da medula espinhal para o nervo pudendo até o pênis;
  • O músculo liso dentro dos corpos cavernosos (dois cilindros paralelos que atravessam o comprimento do pênis) responde com relaxamento;
  • Posteriormente, as artérias penianas se dilatam, permitindo que até oito vezes mais o sangue flua para o corpo cavernoso;
  • O corpo cavernoso fica engrossado com o sangue, que se expande e alonga o pênis. O tecido expansivo então exerce uma pressão positiva, que comprime as veias que normalmente esvaziam o sangue do pênis. Isso mantém o sangue represado temporariamente nos corpos cavernosos.

Quando a ejaculação ocorre ou quando a excitação é interrompida, o pênis retorna ao seu estado flácido.

Estimulação Física ou Psicológica

A quantidade de sangue que entra no pênis pode ser aumentada por estimulação física ou psicológica. Quando o sangue entra, há uma redução temporária na taxa e no volume de sangue que sai do pênis. As artérias que levam sangue ao pênis se dilatam; isso, por sua vez, causa a expansão do tecido.

As veias que levam o sangue do pênis têm válvulas em forma de funil que reduzem o fluxo sanguíneo. À medida que o tecido erétil começa a aumentar, a pressão adicional faz com que as veias sejam espremidas contra o tecido fibroso circundante, e isso diminui ainda mais o fluxo de saída de sangue. Essencialmente, o sangue fica temporariamente preso no órgão.

O Corpo Esponjoso não se torna tão ereto quanto os corpos cavernosos. As veias são mais perifericamente localizadas, de modo que há um fluxo contínuo de sangue nesta região. Essa circulação constante impede que a uretra seja colapsada pelo tecido adjacente, o que impediria a liberação do sêmen.

O pênis retorna ao seu estado flácido quando o fluxo sanguíneo é novamente reduzido à sua taxa e volume habituais. Como o sangue é drenado dos espaços de tecido erétil, a pressão é reduzida nas veias e o fluxo continua em seu ritmo normal.

Dificuldade de Ereção

De modo geral, podemos dizer que a ereção é um processo que envolve a alteração de músculos, nervos e até mesmo vasos sanguíneos na região peniana. Quando alguma parte desse processo não está alinhada com as outras, pode haver dificuldade em manter o sangue nos corpos cavernosos, gerando assim a disfunção sexual.

Se você apresenta constante dificuldade de produzir ou manter uma ereção peniana, é aconselhável buscar ajuda de um médico urologista de sua confiança. Quadros de disfunção erétil são mais comuns do que se imagina, mas poucos homens buscam o auxílio necessário para tratar a condição.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 17 de fevereiro de 2019 e Atualizado em: 10 de dezembro de 2021

O Artigo foi Útil?

Clique em 5 estrelas!

Classificação média: / 5. Contagem de votos:

Informações Relevantes, Compartilhe:
Agende uma Consulta