Carregando...Testosterona

O que é o Hormônio Testosterona?

O universo masculino pode ser muitas vezes reduzido a uma só palavra, testosterona. O hormônio é frequentemente relacionado à ideia de homens másculos, os chamados “machos”, homem com “H maiúsculo”, com comportamentos mais firmes e até mesmo mais agressivos.

No entanto, o hormônio testosterona nada tem a ver com o “mau comportamento”, uma vez que desempenha outros papéis na saúde de um homem. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre o que é o hormônio da testosterona.

Testosterona

A testosterona é um hormônio presente tanto no organismo masculino, quanto no feminino. No entanto, desempenha papéis diferentes em cada um deles. Para o homem, a testosterona se torna o principal hormônio sexual e é responsáveis por mudanças como:

  • Desenvolvimento dos órgãos genitais (Pênis e testículos);
  • Mudança da voz na puberdade;
  • Aparecimento de pelos faciais e púbicos;
  • Tamanho e força muscular;
  • Crescimento;
  • Força óssea;
  • Libido (Desejo sexual);
  • Produção de esperma.

Os baixos níveis de testosterona na adolescência podem afetar todos os processos citados acima, com isso, esses meninos podem não apresentar a masculinização normal.

Funcionamento do Hormônio

Tudo começa no cérebro e na glândula pituitária, localizada em sua base, que controlam e liberam a produção de testosterona pelos testículos. Após isso, o hormônio se move por meio do sangue para realizar as suas funções.

Os níveis de testosterona tendem a mudar durante o dia, sendo mais altos pela manhã e mais baixos no período noturno. As taxas podem ser mais elevadas aos 20 e 30 anos, após esse período a tendência é que diminua gradativamente a partir dos 35 anos.

Altos Níveis

A alta produção de testosterona ainda na infância pode fazer com que meninos entrem na puberdade prematuramente, antes mesmo dos 9 anos de idade. Algumas doenças como certos tumores podem contribuir para que meninos comecem a produzir mais testosterona do que o normal.

Os principais problemas desencadeados pelo excesso de testosterona no organismo são:

  • Baixa contagem de espermatozoides;
  • Diminuição dos testículos;
  • Impotência sexual;
  • Danos musculares;
  • Alto risco de ataques cardíacos;
  • Dificuldade em urinar em decorrência do aumento da próstata;
  • Doenças Hepáticas;
  • Surgimento de acnes;
  • Ganho de peso;
  • Pressão alta e aumento do colesterol;
  • Dores de cabeça;
  • Insônia;
  • Aumento do risco de coágulos sanguíneos.

Baixos Níveis

Os baixos níveis de testosterona podem ser identificados por meio de sinais ou anormalidades com a diminuição do desejo sexual, baixa contagem de esperma, enfraquecimento muscular e ósseo, fadiga extrema e infertilidade.

Existem alguns fatores capazes de diminuir temporariamente os níveis deste hormônio, sendo eles:

  • Abuso de exercício físico;
  • Má nutrição;
  • Doenças graves.

Reposição Hormonal

A testosterona produzida pelas glândulas adrenais (cerca de 5% do total) e pelos testículos (cerca de 95% do total), pode ser regulada por meio de terapias de reposição hormonal. No entanto, esse método não é indicado para todos os casos.

Buscar auxílio de um médico urologista de sua confiança é fundamental para definir a possibilidade do início do tratamento.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

O Artigo foi Útil?

Clique em 5 estrelas!

Classificação média: / 5. Contagem de votos:

Informações Relevantes, Compartilhe:
Agende uma Consulta